2 de março de 2020

Alocação Fevereiro/2010: -5% BRL / -9,8% USD

Renda variável varia pra cima e pra baixo. Mês sem muitas novidades. Comprei LREN3 no topo e LEVE3 no fim da semana passada.

A alocação de patrimônio deste mês ficou assim:
  • Renda variável -  59,3%
    • Ações no Brasil - 45,1%
    • Investimentos no exterior - 9%
      • ETF MSCI World - 4%
      • ETF MSCI Emerging Markets - 4%
      • Saldo em conta - 1%
    • FIIs - 5,2%
  • Renda Fixa - 40,7%
    • FGTS - 8,8 %
    • Tesouro Direto - 8%
    • PGBL - 7,2%
    • Poupança - 5,5%
    • VGBL - 5,8%
    • CDB Pós -  5,4% 
Abraços,
IOTR

3 de fevereiro de 2020

Alocação Janeiro/2020 (+0,78% BRL / -5,21% USD)

Resultado bem razoável em moeda fraca e muito ruim em dólar.

Esse mês portei o VGBL que era um fundo multimercado péssimo com Sharpe negativo (!) e 1,2% de taxa de administração pra outro 100% renda fixa sem crédito privado e 0,8% de taxa de administração. Ainda não estou plenamente convencido que previdência privada é um mau negócio, especialmente considerando-se os benefícios fiscais que existem atualmente.

O Itaú abriu CDB pré com liquidez diária rendendo 100% do CDI. Peguei prazo máximo, cerca de quatro anos, e aloquei metade da poupança. Vai ficar como o mix de RF pós deste período, no vencimento eu decido o que fazer. O retorno é marginalmente melhor que Tesouro Selic, porém julguei adequado ao risco marginalmente maior.

Depois de muitos anos tomei vergonha na cara e assinei a Bastter.com. O conteúdo é realmente excelente. De quebra ainda tirei mais 0,05% do spread do Remessa Online com o código para assinantes; eu utilizava o código do Viver de Renda que dá 20% de desconto e o da Bastter dá 23%.

Em relação aos gastos, foi um mês complicado de não-recorrentes com duas viagens curtas e a festa de aniversário do meu filho. A conta de luz mais que dobrou por conta da necessidade de aquecimento, creio que a partir desse mês volte a um patamar aceitável. Em compensação os gastos de supermercado caíram cerca de 20%. Fechei o mês gastando mais do que ganhei trabalhando, o que considero péssimo.

A alocação de patrimônio deste mês ficou da seguinte maneira:
  • Renda variável -  61%
    • Ações no Brasil - 47,2%
    • Investimentos no exterior - 8,5%
      • ETF MSCI World - 4%
      • ETF MSCI Emerging Markets - 4%
      • Saldo em conta - 0,5%
    • FIIs - 5,3%
  • Renda Fixa - 39%
    • FGTS - 8,2%
    • Tesouro Direto - 7,6%
    • PGBL - 6,5%
    • Poupança - 6%
    • VGBL - 5,5%
    • CDB Pós -  5,2%
Abraços,

IOTR

13 de janeiro de 2020

Fechamento 2019: +29% BRL / +24,5% USD

Resultado excelente em comparação com 2018, onde meu patrimônio cresceu ridículos 1,85% em BRL e caiu 20% em USD. Em 2018 me mudei pra Europa, mas passei 2019 com mais um no agregado familiar. Enfim, todo ano tem alguma peculiaridade e é complicado comparar resultados ano a ano.

O rally de Natal ajudou a chegar nos 1,3MM BRL e voltar ao topo histórico de patrimônio em USD com 335k. Pra 2020, se o câmbio ajudar, espero atingir 400 a 450k USD.

Apesar de todos os custos extras do ano consegui gastar menos do que ganhei trabalhando. Pro ano pretendo mudar pra um apartamento maior, se possível pagando 15 a 20% menos aluguel do que pago atualmente. Além disso preciso ficar de olho nos gastos de supermercado, pois têm sido bem mais altos do que eu previ.

Terminei o ano com a seguinte alocação:
  • Renda variável -  61,2%
    • Ações no Brasil - 46,8%
    • Investimentos no exterior - 8,5%
      • ETF MSCI World - 4%
      • ETF MSCI Emerging Markets - 4%
      • Saldo na corretora - 0,5%
    • FIIs - 5,9%
  • Renda Fixa - 38,8%
    • Poupança - 11,2%
    • FGTS - 8,1%
    • Tesouro Direto - 8%
    • VGBL - 5,5%
    • PGBL - 6%
Feliz 2020 para todos!

Abraços,

IOTR

3 de dezembro de 2019

Alocação Novembro/2019 (+2,26% BRL /-2,83% USD)

Mais um bom resultado em moeda fraca, pena que eu não como nem moro em reais. Nesse ritmo chego em 1,3MM até o fim do ano, se os mercados não fecharem este ano como 2018.

Esse mês fiz uma coisa que abomino: vendi um ativo. Um dos primeiros FIIs que comprei estava bem desalinhado com a minha estratégia de análise de FIIs. Além de ter quase metade do patrimônio em outros FIIs, encontrava-se em quarentena por rolo grave de governança e apareceu outro rolo esse mês. Eu já estava desconfortável e zerei posição.

Estou impressionado com a quantidade de rolo em FIIs.Provavelmente por ser uma estrutura muito recente e não tão bem regulada pareça o Velho Oeste da renda variável brasileira. Outro dos meus FIIs teve quase todos os diretores da gestora presos, o que causou um sell-off a meu ver motivado por pânico. Aproveitei que precisava rebalancear meu portfolio de FIIs com a venda do anteriormente citado e comprei.

Passei a comprar FIIs pelo Itaú a partir deste mês. Solidez e corretagem zero.O homebroker é uma viagem no tempo, mas pouco importa.

A alocação do mês ficou assim:
  • Renda variável -  58,5%
    • Ações no Brasil - 44,3%
    • Investimentos no exterior - 9,1%
      • ETF MSCI World - 4%
      • ETF MSCI Emerging Markets - 4%
      • Saldo na corretora - 1,1%
    • FIIs - 5,1%
  • Renda Fixa - 41,5%
    • Poupança - 12,6%
    • FGTS - 8,6%
    • Tesouro Direto - 8,3%
    • VGBL - 5,8%
    • PGBL - 6,2%
Abraços,

IOTR

31 de outubro de 2019

Alocação Outubro/2019 (+3% BRL / +6,7% USD)

Mais um mês praticamente no automático.
 Comprei euro nessa queda do fim do mês e reinvesti proventos em FIIs, atingindo a alocação-alvo de 5% do portfolio. Comprei outro lote de CIEL.e uma merreca de MDIA no fracionário.

Voltei pro patamar de 300k USD, quase 1/3 milionário apesar de ainda estar a 7% do meu topo histórico patrimonial em moeda forte.

Reduzi bem meus gastos e guardei 18% do meu salário líquido esse mês. \o/
  • Renda variável -  58,3%
    • Ações no Brasil - 43,5%
    • Investimentos no exterior - 9,7%
      • ETF MSCI World - 4%
      • ETF MSCI Emerging Markets - 4%
      • Saldo na corretora - 1,7%
    • FIIs - 5,1%
  • Renda Fixa - 41,7%
    • Poupança - 12,8%
    • FGTS - 8,6%
    • Tesouro Direto - 8,3%
    • VGBL - 5,8%
    • PGBL - 6,2%
Procurando uma alternativa mais barata que o Remessa Online. Estou pagando quase 1% de spread e isso me incomoda. Sugestões?

Abraços,

IOTR

16 de outubro de 2019

Análise de Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) - minha estratégia

Como estou começando nos FIIs, resolvi compartilhar minha estratégia de seleção de fundos para ajudar os iniciantes que não sabem por onde começarem e para que os mais experientes façam sugestões.

Minhas premissas eliminatórias atualmente são:
  • Somente FIIs de tijolo. Fundo de fundos e recebíveis (papel) não me interessam;
  • Categorizados como Galpões, Lajes Corporativas, Híbrido ou Shoppings. 
    • Não me interessam agências bancárias (geralmente monoinquilino e imóveis com rolo jurídico);
    • Hospitais e educacionais, se o inquilino encerra o contrato faz o que com o imóvel?
  • Somente gestão ativa. Cotista definindo rumo de FII é como minoritário definindo meta de empresa, pra mim não tem a mínima condição de dar certo;
  • Multi imóvel (mínimo 5) e multi inquilino; 
  • Participação no IFIX mínima de 0,5%;
  • Vacância menor que 20% e inadimplência menor que 6%.
Utilizo o Super Filtro de FIIs do Mundo FII pra me auxiliar na busca. Incluo as premissas eliminatórias no filtro; no dia 16/10 o site retornou 11 de 151 fundos. Considero esse resultado como meu short list..

Começo a listar os FIIs estudáveis por critérios ainda objetivos, porém que considero mais pessoais:
  • Taxa de performance (qualquer valor) - elimina 3 dos 11 FIIs Não sou fã de pagar taxa de performance em investimento nenhum e FIIs não seriam diferentes.
  • Alta concentração de FIIs, CRIs ou LCIs (acima de 10%) no patrimônio do fundo - elimina 2 dos 11 FIIs. Se eu quisesse isso comprava fundo de fundos ou de papel.
Esses dois critérios reduzem minha lista para seis FIIs estudáveis: dois de Logistica, dois de Lajes Comerciais, um de Shoppings e um híbrido.Aí é acessar os relatórios mensais da gestão de cada um dos fundos e procurar algum rolo evidente no FII no site do Bastter ou no Clube FII pra ter certeza que a governança é decente.

Resolvido isso diversifico em partes iguais por categoria: 1/3 em Logística, 1/3 em Lajes Comerciais, 1/3 em Shoppings.

Reparem que não falei de P/VPA ou yield nem vou falar. A análise é SÓ de valor.

BONUS: Após ler o Introdução aos Fundos de Investimento Imobiliário do André Bacci e aprendendo na prática, passei a ignorar solenemente subscrições de FIIs. Tenho como prática participar de todas as subscrições das empresas que sou sócio e trouxe esse hábito para os FIIs, porém até a integralização, cujo prazo varia de acordo com a emissão, as cotas subscritas não têm direito aos mesmos rendimentos das negociadas em mercado. Até ler o livro e participar das subscrições recentes na prática eu não fazia ideia disso. Pra quem não tem centenas de milhares de reais concentrados em um único FII não faz sentido algum.

Como de costume, essa estratégia é pessoal e em nenhum momento deve ser considerada sugestão de investimento. O propósito de compartilhá-la aqui é receber comentários da comunidade; como dito no começo do post, minha jornada nos FIIs está apenas começando.

Abraços,

IOTR

    30 de setembro de 2019

    Alocação Setembro 2019 (+1,81% BRL / +1,5% USD)

    Mês sem grandes novidades, participei do follow-on de EZTC e comprei uns trocados de FII e CIEL.
    • Renda variável -  57,2%
      • Ações no Brasil - 43,1%
      • Investimentos no exterior - 9,4%
        • ETF MSCI World - 4%
        • ETF MSCI Emerging Markets - 4%
        • Saldo na corretora - 1,4%
      • FIIs - 4,7%
    • Renda Fixa - 42,8%
      • Poupança - 13,7%
      • FGTS - 8,7%
      • Tesouro Direto - 8,1%
      • VGBL - 6%
      • PGBL - 6,3% 
    Assinei o Amazon Prime brasileiro, mesmo sem o frete grátis vale muito a pena pra mim: Prime Video, mais 5 gigas na Amazon Cloud, Prime Music e Prime Reading por 2€/mês.

    O Prime Reading tem vários livros da Bastter.com e o Introdução aos Fundos de Investimento Imobiliário do André Bacci, que li no fim deste mês. Gostei bastante do livro e recomendo a leitura. Estou preparando um post sobre FIIs e o livro me ajudou a consolidar conceitos e esclarecer dúvidas.

    Abraços,

    IOTR